Dois desfechos de Fellini

Amigos:

Existem muitas cenas memoráveis de cinema: o baile de “Forte apache” e o hospício de “Rastros de ódio” (ambos de Ford), a prece final do pai em “A fonte da donzela” e o caco de vidro no caminho em “Persona” (ambos de Bergman), o som da bola de tênis em “Blow-up” (Antonioni), a partida dos retirantes ao som de um carro de boi (inexistente em cena) em “Vidas secas” – foto (Pereira dos Santos), o filho cuidando do pai enfartado em “Vidas amargas” (Kazan), o encontro dos corpos dos amantes em “L’Atalante” (Vigo). Mas ainda destacarei dois desfechos de Fellini: o último riso de Cabíria, em “Noites de Cabíria”, e o único choro de Zampanô, em “A estrada” (ambos de Fellini).

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo