Dois espetáculos solo movimentam Espaço a3 em agosto

Agosto de solos no Espaço a3, em parceria com a Ilha de Produção.

Sempre às 20h, ao preço de 20 reais a entrada, quatro sessões de dois espetáculos movimentam o local armado na rua Frei Miguelinho, 90C, Ribeira.

Informações, reservas e compras de ingressos: (84 99845 8466).

Na próxima sexta-feira (19) e também no sábado da semana que vem (27), a programação será aberta por Cinzas ao Solo, do bailarino-criador Alexandre Américo.

A obra é fruto de uma pesquisa de mestrado do coreógrafo, em que a metáfora do homem que caminha e devora o “mundo”, como uma busca pela sensação de comunhão com o todo, de ancestralidade e atemporalidade, pretende tematizar o entendimento que o bailarino tem sobre a dança.

Trecho de Cinzas ao Solo:

Em seu percurso, Alexandre mergulhou em diversos locais de natureza exuberante, lugares sagrados quase nunca tocados, lugares de silencio e força, na tentativa de tocar o invisível, de encontrar o “ancestral”, o primeiro e o último homem que dançou.

Cinzas ao Solo é a exposição, por meio da linguagem da improvisação em tempo real, da dança que é vida e morte.

Dessa forma, o público será convidado a participar de uma experiência sensível e genuína, em que o ato de se sacrificar pela dança, de morrer e viver pelo o que se acredita vira premissa.

Ficha técnica: Alexandre Américo (bailarino-criador), Mathieu Duvignaud (diretor artístico), Morvan França (dramaturgia e exposicão), Laura Figueiredo (luz), Toni Gregório (trilha sonora), Ionara Marques (voz), Jô Bonfim (adereço), Estúdio P. (impressão de fotografia), Brunno Martins (fotógrafo), Celson Filho (produção).

Já no próximo sábado (20), e na sexta que vem (26), é a vez de Etéreo, com o intérprete-criador René Loui.

Teaser:

Experimentação pública das sensações causadas pela perda, o espetáculo dialoga a partir das experiências do artista para com seus medos e dores.

Um Deslocamento vivencial em sua relação com a urbe, que extravasa a sua mera presença física e prioriza elementos de pesquisa, tais como limites, exaustão e resistência na obra geral do artista.

Fruto da imersão no âmbito da Residência Artística Corpos Diferenciado, desenvolvida entre novembro de 2014 e fevereiro de 2015, na cidade de Funchal, na Ilha da Madeira, Portugal, por meio do Edital Conexão Cultura Brasil Intercâmbios 2014.

Ficha técnica: Ekilíbrio Companhia de Dança (Juiz de Fora, MG), Grupo de Performances ILEA (Juiz de Fora, MG), Cruor Arte Contemporânea (Natal RN); Interprete/Criador: René Loui; Produção Executiva: Pablo Vieira; Audiodescrição: Antônia Delgado/Karol Tita; Audiovisual: Patrícia Borges; Figurino: João Assunção/ Liserq; Parceiro: Grupo Dançando com a Diferença; Apoio Cultural: Companhia Gira Dança (Natal, RN).

FOTOGRAFIA DE CAPA: Brunno Martins

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo