E assim se passaram três anos…

O dia não havia raiado ainda e na minha caixa de e-mail chegava a convocação de João da Mata para escrever o editorial sobre os três anos do SP, completados este mês. Por isso, tenho de correr e escrever logo, senão ele escreve – rs, o que estaria no seu direito. Mas a crônica dele, com os altos e baixos desse blog, virá em seguida, não se preocupem.

Leitor e colaborador da primeira hora, Damata talvez seja, depois de mim, a pessoa que bota mais fé, que acredita e se entusiasma mais com esse blog. Por conta dessa paixão, minha e dele, até já nos estranhamos em alguns momentos. Felizmente, nos reconciliamos. Ganhamos todos com a presença dele aqui.

Há poucos dias, por e-mail, Gustavo de Castro, bastante contente, disse-me que o SP está sendo lido por renomados jornalistas do Sudeste. E ressaltava a importância do nosso trabalho aqui, pedindo para mantermos o pique.

Não é fácil, mas fazemos o possível para isso. Desde o princípio.

Começamos com cerca de cem visitas diárias, que chegou a 300 no final do primeiro ano no antigo SP laranja (não tenho saudades), cheio de limitações técnicas e defeitos (os textos desapareciam sem deixar vestígios), mas que foi o tiro de meta que permitiu chegar até esse formato e software.

Em maio último, atingimos uma média diária de 1.313 visitas (em abril foram 1.304). Quase 40 mil acessos mensais. Com algumas surpresas, como por exemplo, 510 acessos em maio oriundos de Portugal. Certamente, são os fãs da poesia de Sylvia Beirute que nos dão essa audiência. 17 visitas de Israel??? Aqui, talvez seja o Mossad de olho na gente. Problema dele, continuaremos denunciando as atrocidades praticadas por Israel contra os palestinos.

Até agora, não tive um dia sequer de desânimo com relação ao SP. Desde o início, pensei nele como um projeto de longo prazo, melhor dizendo, um projeto para a vida toda. Penso que preparei-me, até inconscientemente e devido a certas circunstâncias, para isso. Seja militando no jornalismo cultural de Natal, na Fundação José Augusto, acompanhando os trabalhos de Marize Castro e Nelson Patriota no jornal O Galo, seja depois editando a revista cultural Preá.

Espero chegar aos 80, 90 ou 100 anos (Roberto Marinho e Barbosa Lima não chegaram?!) no comando do SP. Então, se preparem porque ainda vai ter muito editorial comemorando aniversário do blog por aqui.

Agradeço a todos pela força. Espero continuarmos juntos por muito tempo. Para mim, está muito claro que o conceito e a credibilidade – a audiência é um detalhe, sinceramente, nunca me preocupei com ela – do SP se deve ao trabalho de todos nós. Com cada um colaborando quando e como pode – mas sempre com qualidade – é que chegamos até aqui. O Substantivo me dá muito prazer, sinto-me verdadeiramente feliz aqui.

Por último um agradecimento a um cara fantástico, Nicolau Chiavenato, que quase não aparece aqui, mas que tem sido fundamental, sempre introduzindo novidades e facilidades pra gente navegar. E mais importante, resolvendo as broncas técnicas que ocorrem de vez em quando. Não quero nem pensar se ele não estivesse sempre a postos para nos ajudar. Tenho de levantar ao máximo a bola do cara porque ele não cobra nada por todo esse trabalho – rs. Combinamos que ele colocaria o banner da Distrito Web, empresa dele que faz sites, blogs etc, e em troca nos daria suporte técnico. Mas já garanti a ele que quando nos tornarmos um Google pagaremos todo o atrasado. Por enquanto, ainda não ganhamos um tostão com o SP. Mas, quem liga pra dinheiro quando se é feliz?!

Comentários

Há 12 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + dezenove =

ao topo