E o ENE virou ELE

“O tema do momento nos blogs natalenses – junto com a série de demissões no Jornal de Hoje – é a crise na Funcarte, ou melhor, as mudanças no Encontro Natalense de Escritores (ENE). O evento seria realizado em novembro e estava com a logística toda pronta pela organização. De repente, ele não será mais realizado em novembro, mas em março e não se chama mais ENE e sim ELE – Encontro Lusófono de Escritores.

Para mim, não se trata apenas de discutir se o evento será bom (acredito que o será, se for realmente realizado) e se vai trazer escritores internacionais (espero que sim), mas de debater um princípio que foi quebrado. Ora, em diversas entrevistas (e eu as tenho todas arquivadas), o presidente da Funcarte César Revoredo, certamente respaldado pela prefeita Micarla de Sousa, garantiu que os eventos e ações bem sucedidos da gestão anterior seriam mantidos e não teriam os nomes mudados.

Ora, pois, o ENE virou ELE e a ótima revista Brouhaha virou (ou vai virar) Ginga! O que se aduz disso tudo é que a palavra de César (por extensão a da prefeita) não valem um risco n´água, pelo menos no que tange à manutenção de nomenclaturas. Muito triste uma administração fazer questão de mudar nomes por revanchismo, miopia estratégica, insegurança, sabe-se lá o quê.

Certo, o evento será realizado, e lusófono, agora!. Muito bem. Como já comentaram no implacável twitter, aquela viagem da prefeita e um magote de gente para Lisboa no começo do ano serviu, enfim, para alguma coisa. Vai ver Micarla e o ELE trazem um monte de escritores (e não apenas escritores, claro) portugueses, moçambicanos, angolanos para estas terras natalenses. Para intercâmbio cultural, claro. E talvez um pouquinho de festa, com a presença de políticos lisboetas. Afinal, já se percebeu há tempos que a administração atual gosta mesmo é de pompa e glamour. ” CEFAS CARVALHO – http://www.cefascarvalhojornalista.blogspot.com/

Go to TOP