Editoras potiguares participam da Feira de Poesia de São Paulo

A Sol Negro Edições e a Munganga Edições , duas Editoras potiguares, participam da edição virtual da Desvairada – Feira de Poesia de São Paulo.

O evento começa amanhã (10) e vai até sábado (13). A feira tem como ampliar a difusão e leitura de poesia, além de divulgar trabalhos feitos por poetas e editoras independentes, que não têm grande circulação, abrindo, assim, outros olhares sobre a cena contemporânea.

A programação da Desvairada está AQUI. O evento também poderá ser acompanhado pelo canal da Biblioteca Mário de Andrade no Youtube.

A Desvairada conta, ainda, com mesas de debate, leituras de poesia, performances e concurso de vídeo-poema. As duas primeiras edições foram realizadas nos anos de 2017 e 2018, com grande repercussão na cena literária e grande circulação de pessoas interessadas.

Em 2019 mudou de casa e foi realizada na Biblioteca Municipal Mário de Andrade. O poeta homenageado do ano foi o poeta Augusto de Campos (1931-).

Desvairada – Feira de Poesia de São Paulo é uma realização Corsário-Satã com apoio da Biblioteca Municipal Mário de Andrade e da Cidade de São Paulo.

Sol Negro e Munganga

A Sol Negro Edições é uma editora sediada em Natal-RN, que edita livros artesanais em pequenas tiragens. Numa época em que a Grande Ilusão Conceitual dos meios de comunicação e o simulacro da imagem espe(ta)cular acreditam pautar toda a vida social e mesmo os desvãos do pensamento mais íntimo, a Sol Negro surge do mais puro sonho e força imaginária a favor do desejo: editar livros com qualidade literária e gráfica, de maneira acessível e independente, abordando assuntos, autores e visões que estejam à margem dos interesses representados pelas grandes editoras e conglomerados de informação. Arte paga com arte.

Fundada em 2017, a Munganga Edições é uma microeditora independente situada no Nordeste brasileiro, na cidade de Natal/RN, que tem como proposta editorial re(disponibilizar) aos leitores autores e obras pouco conhecidos, em pequenas tiragens artesanais. O carro-chefe é a publicação de poesia, principalmente de autores em domínio público.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo