Edtam sem patrocínio

A diretora da Escola de Dança do Teatro Alberto Maranhão, Wanie Rose está quase de joelhos suplicando verba para poder levar seu grupo de bailarinos ao festival de dança de Joinville – o mais prestigiado do Brasil e do qual o Rio Grande do Norte tem se destacado nos últimos anos, sobretudo no quesito da dança contemporânea. Se o Estado banca o Edtam aqui com local e infra-estrutura material, deveria patrocinar e apoiar nossos valores nesta viagem. É triste ver um trabalho tão bonito (o grupo é formado por 600 alunos de baixa renda), dedicado e com resultados concretos precisar se humilhar para tentar patrocínio. Empresários também poderiam ajudar, como fazem no esporte. Mas a cultura é sempre um plano renegado e a mercê dos recursos públicos. É por isso que não anda.

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP