“Ela derrotou o tempo”

torres

CLÁUDIO TORRES (*)

RIO – 80 anos, corpinho de 50, cabeça de 40 e espírito de 20. Boa dona de casa (lava a própria louça), boa mãe (de prontidão a qualquer hora do dia ou da noite), boa avó (dá chocolates escondidos para os netos), boa esposa (mesmo depois da partida do marido), boa amiga (fiel, independentemente de qualquer circunstância) e boa patroa (ela administra dois sítios na serra e aluga apartamentos).

Mas, por trás dessa aparente normalidade, Arlette possui uma identidade secreta: FERNANDA MONTENEGRO, uma mutante que, oriunda de uma família de classe média baixa, nasceu com alguma alteração genética que a fez transcender e derrotar, década após década, o desafio de permanecer contemporânea e, ao seu modo, revolucionária.

Suas habilidades profissionais transformaram sua vida e a vida dos que a cercam. A capacidade de compreender e aprender com a dramaturgia dos personagens que vive (encontrar a verdade para cada uma dessas mulheres) e impregnar de sentido os filmes, peças e novelas de que participa a fizeram imprescindível.

Arlette derrotou o tempo, e isso é visível no rosto dela. O destino não a poupou de desgraças, não se trata de uma história de sorte, e sim de sabedoria – a vida aparelhou esta mulher com amor, inteligência, discernimento, talento e coragem, e ela devolveu isso para a vida, através da mesma coisa que a libertou e alimentou – a arte. Arlette descobriu no ofício de sua profissão o segredo da vida . E ensina isso para quem quiser aprender.

* CLÁUDIO TORRES é cineasta e filho de Arlette Pinheiro (Fernanda Montenegro)

Leia no link abaixo caderno especial de O Globo, em homenagem aos 80 anos da mais importante atriz brasileira em atividade.

aqui

Go to TOP