Elizabeth Bishop

Por Kenneth Maxwell
FSP

Em 8 de fevereiro de 2011 foi celebrado o centenário do nascimento de Elizabeth Bishop, em Worcester, Massachusetts.

O pai dela morreu quando a menina tinha só oito meses, e sua mãe foi internada num hospital psiquiátrico. Elizabeth foi para a Nova Escócia, Canadá, mas retornou a Worcester para viver com os avós.

Tornou-se uma das maiores poetas do século 20.

Elizabeth Bishop chegou a Santos em novembro de 1951.

Seu plano era uma viagem de duas semanas. Terminou por ficar durante 15 anos. Vivia no Rio de Janeiro, na rua Antônio Vieira, Leme, em um apartamento com vista para a praia de Copacabana. Mais tarde, se mudou para Petrópolis.

A amante brasileira de Bishop era Lota de Macedo Soares, uma socialite e arquiteta autodidata. Bishop escreveu alguns de seus melhores poemas no Brasil e traduziu as obras de João Cabral de Melo Neto e Drummond. Também manteve extensa correspondência, especialmente com seu velho amigo, o também poeta Robert Lowell.

Mais tarde, o relacionamento entre Bishop e Lota se desgastou, em larga medida devido aos ferozes conflitos em que Lota se envolveu ao projetar e criar o grande parque do Flamengo, no Rio de Janeiro.

O então governador Carlos Lacerda havia indicado Lota, sua parente, para realizar o projeto, e isso a envolveu em confrontos infinitos com burocratas e outros, entre os quais o paisagista Roberto Burle Marx, que se voltou violentamente contra ela e não media críticas. Pouca gente recorda a realização de Lota, no Rio de Janeiro atual.

Bishop, nesse meio tempo, se havia mudado para Ouro Preto, Minas Gerais, onde adquiriu uma pequena propriedade colonial à qual batizou Mariana, em homenagem à poeta norte-americana Marianne Moore, uma de suas primeiras mentoras.

Começou a restaurar o edifício, mas sofria frustrações infindas com as pessoas que contratou para o trabalho, porque acreditava que a estavam enganando, como decerto estavam. Sua vida sempre havia sido afetada por grandes depressões, alcoolismo e surtos de ira.

E os problemas de sua vida pessoal não parecem ter se aliviado com o tempo. Em setembro de 1967, Bishop voltou a Nova York, e Lota se uniu a ela. Mas Lota morreu em Nova York, de overdose, possivelmente suicídio, aos 57 anos.

Nos anos 70, Bishop aceitou um posto na Universidade Harvard, entrou em um novo relacionamento e morreu em 1979 de um aneurisma cerebral, em sua casa em Lewis Wharf, Boston. No momento, não existem edições novas das obras de Bishop no Brasil.

Os comentários incisivos da poeta talvez não agradem a todos. Mas seus poemas deveriam agradar.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 4 =

ao topo