Em louvor aos velhos alfarrábios

Para o amigo Tácito que se converteu no desejo que ele seja muito feliz.

O livro é a maior invenção da humanidade. Com a criação do tipo móvel o livro pode ser reproduzido e a cultura democratizada. Infelizmente, entre nós brasileiros, a impressão do livro é recente e remonta há pouco mais de dois séculos.
No momento em que se fala do kindle e outros meios eletrônicos de leitura do livro “e-reader”, fico com meus alfarrábios suplicando para que: Não me manuseiem com mãos sujas; Não rasgue nem arranque minhas folhas; Não apóie o cotovelo sobre minhas páginas durante a leitura; Não me puxe pela lombada superior; Não coloque entre minhas folhas objetos mais espessos que uma folha de papel; Não dobre os cantos de minhas folhas para marcar o ponto em que parou a leitura (use para isso uma tira de papel ou marcador apropriado). No banheiro ou na cama, nas filas ou em qualquer lugar eles estão sempre me esperando. Proteja-me da luz solar, da umidade, das viúvas, dos analfabetos e eu o ajudarei a ser feliz. Não compre livro que pertenceu a Biblioteca Pública. Não me obrigue a comprar um livro eletrônico. Compararei só pela leitura, mas continuarei fiel aos fólios em papel.
Minha praia é feita de livros com orelhas, cheiros, brochuras, volumes, ilustrações e tipos Boldoni. Ninguém substituirá a fruição da visão de uma biblioteca. No seu interior colocarei flores, santinhos, poemas, fotos e lembretes. Como substituir as belas dedicatórias dos livros? Quem substituirá aquela frase grifada. Aquele comentário. Aquele pensamento? Como ficar sem aquele livro que você pegou e leu deixando marcas. Rastros. Batons, Perfumes, etc
O livro é um meio insubstituível de conhecimento da arte iniciada por Gutenberg. Sua história é a história da tipografia e da humanidade. Divulgando valores e saberes.
Na sua forma espaço tempo o meu sentimento do mundo. Insubstituível.
Guardião da memória da humanidade. Vetor de ampliação dos sentidos.
Jamais, amiguinhos, serás substituído em sua forma de arte.
O livro será substituído pelo ebooks por aqueles que têm no livro um objeto descartável.
Como mais um objeto que será substituído como um novo celular. Um novo objeto eletrônico que alimentará a voracidade da indústria de consumo e de objetos do desejo daqueles que se deixam levar pela novidade.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 4 =

ao topo