Enigmática

boca

És,
Finge.
Decifro-te.

Brasileiro, nordestino, alagoano, advogado, cidadão comum, simples habitante deste planeta decadente... Rs... [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 8 comentários para esta postagem
  1. Danclads Lins de Andrade 8 de outubro de 2013 18:29

    Anchieta, obrigado pela leitura deste poema.

    Valeu, amigo!!!

  2. ANCHIETA ROLIM 7 de outubro de 2013 20:02

    Danclads, um pequeno grande poema esse. parabéns!!!

  3. Danclads Andrade 5 de outubro de 2013 17:37

    Caro Jarbas, sinto-me honrado com teu comentário a meu poema.

    Abraços.

  4. Danclads Andrade 5 de outubro de 2013 17:36

    Olavo, poeta, é uma honra teu comentário a este poeminha. Abraço.

  5. Jarbas Martins 4 de outubro de 2013 11:01

    Na medida justa,Danclads, do teu talento.Abraços.

  6. Olavo Saldanha 4 de outubro de 2013 8:24

    Só posso repetir o que disse o prof Marcos Silva, Síntese magnífica.

  7. Danclads Andrade 3 de outubro de 2013 19:21

    Marcos, este poema teve inspiração na esfinge de Gizé.

    Também pensei, como você, em colocar uma interrogação no último verso, mas preferi afirmar. Gostei que tenhas gostado.

    Abraço.

  8. Marcos Silva 3 de outubro de 2013 11:39

    Síntese magnífica. Se eu tivesse escrito esse poema tão bonito, colocaria o último verso como pergunta. Mas sou mais velho que vc, deve ser por isso que não tenho tanta segurança.
    Parabens, parabens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo