ENQUANTO O POVO DORME

Por Horácio Paiva

enquanto o povo dorme
dizem eles
tudo é permitido
e não há censura

enquanto o povo dorme
não há problema algum
para os sombrios impulsos
tratativas e negócios

por que então desesperar
se ainda há tempo
e o povo está dormindo?

por que então preocupar-nos
enquanto o povo dorme
e não há qualquer perigo?

ele não pode ouvir
ver ou entender
pois está dormindo

e nem acreditar
pois ainda não sabe
que a simulação é a chave

não há que perder a calma
quando ainda há tempo

não há risco
enquanto o povo dorme

o risco é o povo acordar

mas nunca é tarde
e ainda poderemos fingir
que sempre estivemos com ele
e que até o ajudamos
a despertar

Comentários

Há 4 comentários para esta postagem
  1. Anchieta Rolim 17 de setembro de 2011 19:46

    Verdade!!!

  2. Marcos Silva 17 de setembro de 2011 12:16

    É um bonito poema que tive o prazer de ler antes de sair no SP.Gosto muito da anti-condescendência: o poema fala de dramas dos quais somos ativos agentes. Abraços, Horácio:

  3. Danclads Andrade 17 de setembro de 2011 11:26

    Maravilha, poeta!

  4. Jota Mombaça 17 de setembro de 2011 10:15

    BRAVO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo