ENSAIO: Adriana Amorim retrata emoção e sensualidade em 10 fotografias

Natal perdeu uma grande jornalista; os casais, uma bela oportunidade de registrar seus últimos momentos de noivado; e as mulheres (ou homens, por que não?), a chance de se mostrar sensual nas lentes de uma fotógrafa cada vez mais íntima dos segredos das artes visuais. É que Adriana Amorim voltou à sua Brasília de nascença após 18 anos em Natal. Foi por aqui que se iniciou na fotografia ainda em 2003, quando já cursava jornalismo na UnP. Se formou junto com este blogueiro e também foi colega de trabalho na redação do Diário de Natal. Com o fim do jornal, mergulhou de vez no universo profissional fotográfico, em 2012. Junto com o fotógrafo Marcelo Barreto, adotou o mercado de casamento e ensaios afins, além do segmento de fotos sensuais. Para além do mero registro, suas fotografias viram arte – sentimentos petrificados em lágrimas, sorrisos, instantes mágicos. Seguem abaixo uma pequena mostra de seu trabalho, já prestigiado pelo campeão de MMA, o potiguar Patrício Pitbull, registrado aí abaixo em seu casamento, ao lado da esposa. São fotos em preto e branco, como num filme antigo, nostálgico e simbólico.

unnamed

unnamed (1)

unnamed (2)

unnamed (3)

unnamed (4)

unnamed (5)

unnamed (6)

unnamed (8)

unnamed (7)

unnamed (9)

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 2 comments for this article
  1. Adriana Amorim 20 de Fevereiro de 2015 21:01

    Vilar, quero aqui registrar profunda gratidão por essa iniciativa, por esse espaço e pelo apoio que sempre demonstrou, desde sempre! Você, certamente, é um dos raros colegas a manifestar esse tipo de atitude, de torcer e motivar. Forte abraço pra você e para sua família! E a todos que fazem o SP! =)

  2. Sergio Vilar 20 de Fevereiro de 2015 21:25

    Amorim, fizemos uma troca. O blog também ganha com seu talento. Quem sai de boa na história é o leitor. Obrigado também pela exibição do seu trabalho nesse espaço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP