Entre o passado e o futuro

Por Amarílis Lage | Valor Econômico

SÃO PAULO – Uma das principais qualidades de um grande escritor é sua capacidade escrever tanto para o presente como para o futuro, afirma o professor e crítico literário Carlos Reis, da Universidade de Coimbra. Um olhar visionário que está presente, por exemplo, na obra de José Saramago e António Lobo Antunes. “Estamos numa situação social, política etc. muito degradada, mas não foi por falta de avisos – esses avisos estão na literatura portuguesa nos últimos 30 anos”, diz Reis, autor do livro “Diálogos com Saramago”. Na entrevista abaixo, ele comenta algumas das questões literárias e políticas que Saramago, agraciado com o prêmio Nobel em 1998, levantou ao longo de sua carreira.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo