Entrevista com Gonçalo Ivo

– Francis Bacon falava de uma combinação entre intenção e surpresa em cada quadro que pintava. Qual é a participação do acaso na sua atividade artística, se é que existe alguma? Fale sobre seu processo criativo.

GONÇALO IVO – Não conheço obra sem acaso. Ele é parte constitutiva assim como tudo que penso. Meu trabalho como artista é essencialmente, no que tange a execução, um trabalho de ateliê. Sempre disse que a intuição é parte preponderante naquilo que produzo plasticamente. Se você me perguntar o que é intuição, talvez não consiga responder, pois arte para mim tem que ser um terreno sempre novo, sempre viçoso.

aqui

ao topo