Entrevista com Jota Medeiros

Por Rodrigo Barbosa

Escrito em 1987, Aorigem Diágora ficou vinte e cinco anos em silêncio, até ser publicada em 2012. Primeiro livro de poesia escrito por Jota Medeiros, corrobora a visão de uma poesia mais próxima das artes plásticas e da música do que da literatura. No entanto, é importante destacar que o poeta não se vale da proposição de uma poesia sem versos, como se poderia esperar de um artista adepto da Poesia-Visual. Ao contrário, a concepção de uma estrutura fragmentada que caracteriza esse livro/poema – mesmo valorizando uma organização metamórfica da matéria poética –, não dispensará para sua realização o valor encantatório das palavras.

Texto completo:

http://www.revista.agulha.nom.br/ARC08jotamedeiros.htm 

Comments

There are 3 comments for this article
  1. Anchieta Rolim 10 de Março de 2014 11:02

    Esse é fera. Salve, J. Medeiros!!!

  2. François Silvestre 10 de Março de 2014 11:57

    Plenamente concordo com Rolim. J. Medeiros é fera em tudo, arte e caráter. Figuraço! Poeta Lívio, você é um generoso. Coisa de poeta mesmo. Também tenho sobre Euclides da Cunha essa mesma opinião, Marcos.

  3. thiago gonzaga 10 de Março de 2014 14:58

    muito bom, merecido
    j medeiros
    estará no volume dois do livro de entrevistas
    impressoes digitais
    juntamente com outros nomes
    do passado e do presente
    um abraço para todos os amigos
    em especial François Silvestre autor de um romance muito especial pra mim
    A pátria não é ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP