Entrevista – Ivete Sangalo

Amigos leitores, diminui o número de postagens ontem porque estou envolvido com trabalhos extras além da conta. Tenho certeza que não pensaram em preparação para o carnatal. Vou mesmo à Pipa. A quem fica, duas dicas: tomem uma boa e se divirtam no Carnabeco (o carnaval fora de época do Beco da Lama) e depois desçam a ladeira e assistam a leitura dramática de Sartre, em Nalva Melo. Depois de tomar uns gorós acho que vai dar pra compreeender melhor a excelente peça escrita por Cláudia Magalhães.

O timbre de voz da cantora Ivete Sangalo já foi ouvido em clássicos do axé e hits da MPB, da música romântica: “Se eu não te amasse tanto assim…”. Dos tempos da Banda Eva até o momento mamãe se vão quase 20 anos. Compreendeu todo o período de gestação e consolidação do Carnatal como a maior micareta do país. A opinião é da própria cantora, conferida na entrevista abaixo. São respostas curtas a perguntas enviadas pela internet. As exclamações são todas dela, sem edição. A respeito do bebê e da nova fase de vida, Ivete preferiu não responder. Quer preservar a vida pessoal.

E a voz continua a mesma, mas os cabelos e o “pique” para cantar em cima do trio, também. Apesar do reconhecido potencial de voz e afinação para disputar outros palcos além das micaretas, aquela jovem das pernas taludas que esteve à frente da Banda Eva em meados da década de 90 ainda quer morar na mesma residência musical onde habitam Ricardo Chaves, Bell Marques, Durval Lélys e outros “netos” de santo do carnaval baiano. Ainda assim – e embora plante o contrário – Ivete Sangalo colhe outros louros fora do milionário terreno da axé music.

No novo álbum do guitarrista da banda mexicana Maná, Sergio Vallin, intitulado Bendito Entre Las Mujeres, se ouve a voz de Ivete Sangalo (na música romântica Gotas de Ti), como também a de outras participações especiais do quilate de Eros Ramazzotti e Gloria Stefan. A popularidade da cantora também explode por outras mídias. O Twitter de Ivete Sangalo foi considerado o melhor da web entre as celebridades brasileiras, em enquête promovida pela Abril.com e concorre ao prêmio internacional. Nos segundo e terceiro lugares, o humorista Danilo Gentille e o apresentador Otávio Mesquita.

Ivete Sangalo sobe ao carnatal apenas no sábado. E marca presença com o trio elétrico mais moderno e luxuoso do mundo para animar as apresentações, bem longe da “tecnologia” empregada na fubica que originou o trio elétrico de Dodô e Osmar na já distante década de 80. O trio Demolidor 3 estreou este ano no carnaval de Salvador. O projeto foi criado e desenvolvido em tempo recorde – cerca de três meses. É todo em alumínio, mais estável e menos poluente. O investimento foi de R$ 2,5 milhões.

Ivete Sangalo também chega para mostrar sua nova música, lançada no início de novembro: Na Base do Beijo. A promessa é de mais um hit para a estação veraneio. Apesar do título-sugestão pouco favorável à época carnatalesca de surtos de uma gripe moderna, também promete ser a pedida desta 19ª edição do Carnatal e seus aproximados 40 mil foliões, 250 camarotes e quase 4 quilômetros de percurso. E Na Base do Beijo, Ivete puxa dois blocos do Carnatal 2009. A primeira frase da canção pode ser sintomática: “Quando eu te pegar você vai ver, você vai ver/ Ai de ti, ai de ti…”.

Entrevista – Ivete Sangalo

Você ainda sente o mesmo pique daqueles tempos de Banda Eva para cantar em micaretas?
Claro!!! Até mais, sabia? Hoje tenho mais estrutura, mais tranqüilidade e me reservo o direito de gastar toda a energia no palco. Os fãs merecem essa doação.

Quais os prazeres e desprazeres em tocar em um trio elétrico se comparado, por exemplo, a um palco?
Só prazeres. É muito bom. Somos sortudos em ter esse palco iluminado, itinerante para nós.

O momento atual da MPB é o de revelações de talentos femininos como Roberta Sá, Mariana Aidar. O que acha desse novo momento da música brasileira?
Acho massa. É preciso perceber a diversidade do Brasil, sabendo o quanto é importante para o fortalecimento da nossa cultura. A propósito, você citou grandes nomes da nova geração. Adoro.

Com o amadurecimento musical você se sente mais estimulada a adotar a linha da MPB em vez do axé?
Não. O amadurecimento me faz querer ainda mais ser parte desse luxo que é a axé music. Sou reconhecida pelo que sempre fiz e é assim que vai ser.

O Carnatal é hoje a principal micareta do Brasil?
Disparado! Temos também o Precaju que é incrível!

Qual o charme peculiar do Carnatal se comparado com outros carnavais fora de época?
O público não arreda o pé da rua. Aquelas ruas de dentro com casinhas e o povo nas varandas, crianças dando tchau, a pipoca fervendo… Ah, é muito bom. Eu amo!

* Matéria publicada nesta quarta-feira no DN

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =

ao topo