Espetáculo ‘Natal: Encruzilhada do Mundo’ estreia na Árvore de Mirassol

Por Sergio Vilar. Foto: Tiago Lima.

Um olhar ao passado com o pé no presente. Uma realidade sonhada a partir de um voo metafórico pelas asas de uma Natal bucólica. O espetáculo ‘Natal: Encruzilhada do Mundo ou Sobre a Areia e o Vento’ contará uma história não contada da capital potiguar. Um voo imaginativo da Natal de ontem a partir da vida privada de personagens anônimos e com foco ainda na vocação geográfica da cidade: aberta ao mundo, na esquina do continente.

O espetáculo é um dos dois promovidos pelo Natal em Cena (o novo Auto de Natal), dentro da programação do Natal em Natal. Este ano, a Prefeitura propôs dois espetáculos com focos diferentes. Se antes o Auto de Natal mostrava a história do nascimento de Cristo mesclada à história de Natal, este ano a ideia é separar esses dois acontecimentos em dois espetáculos distintos. Assim foram criados dois espetáculos com essas propostas.

Os espetáculos ‘Encruzilhada do Mundo’ e ‘Milagre da Fé’ se apresentam nesta quinta-feira (19) de forma simultânea, nas zonas Sul (entorno da Árvore de Mirassol) e Norte (entorno do Ginásio Nélio Dias), respectivamente. O ‘Encruzilhada’ abre temporada na zona Sul nesta quinta e segue até sabado. Na sexta (20), antecede o show de Zeca Baleiro. Na Zona Norte, o ‘Milagre da Fé’, começa nesta quinta e também segue até sábado, quando fecha a programação para o show de Fagner.

‘A Encruzilhada’ é promovido pelas companhias de teatro Bololô Cia. Cênica e Atores à Deriva. Elas foram buscar o diretor paulista Luiz Fernando Marques, do Grupo XIX de Teatro, para montagem do espetáculo. A mistura entre a história pura e simples da construção de Natal via consulta técnica ao professor de história, Durval Muniz, da UFRN, e ainda o trabalho realizado pelo diretor em seu grupo de teatro de São Paulo, com histórias de personagens anônimos, foi o primeiro mote.

“Apesar de estudarmos os personagens históricos de Natal, fizemos questão de mostrar a história privada de quem esteve ao lado deles. Mas, claro, há também o pioneirismo de Augusto Severo na aviação, por exemplo, além da literatura e de causos da cidade”. O diretor Luiz Fernando Marques adiantou ainda que serão cinco cenas no espetáculo, e cada uma abordará uma década, compreendendo o período entre 1902 (ano em que Augusto Severo morre em Paris), e 1955.

A dramaturgia da atriz Luana Menezes (Bololô Cia. Cênica) foi construída em processo colaborativo com os coletivos e direção. Dez atores interpretarão os personagens fictícios inspirados em figuras reais de Natal, ambientados na primeira metade do século 20, desde as aventuras do aviador Augusto Severo, até a cidade abandonada pelos soldados norte-americanos, na decadência do pós Segunda Guerra Mundial.

Toda a cena se passa em um hangar, rodeado por dunas e pelo mar. Nesse hangar acontece uma encruzilhada de vidas e de tempos, e abriga ainda um avião onde cabem todos os sonhos. O espetáculo propõe uma releitura da história de Natal pela ótica da poesia e da fábula, para além dos livros de história. Contada de maneira que o espectador se coloque como personagem dessa História e protagonistas na escolha de suas próprias encruzilhadas.

“São personagens de ontem vistos a partir da realidade de hoje. É um olhar para o passado com uma lente de aumento para os dias modernos”, conclui o diretor. Segundo ele, a escolha para direção do espetáculo se deveu à peça ‘Negria’, encenada em Natal tempos atrás, baseada em um conto de Monteiro Lobato. “Acredito que a rapaziada dos grupos assistiram e gostaram, e provavelmente sabem que costumo cruzar fatos históricos à vida privada de personagens anônimos e desejavam essa ideia para este espetáculo”.

O processo de três meses de montagem foi idealizado pelos grupos Coletivo Atores à Deriva e Bololô Cia. Cênica. A produção é da Mapa Realizações Culturais, com patrocínio da Prefeitura do Natal (Funcarte), através do Edital Natal em Cena 2013. O resultado da direção de Luiz Fernando Marques e codireção de Paulo Arcuri (SP), com dramaturgia de Luana Menezes será encenado em seis oportunidades: entre os dias 12, 13 e 14 na Zona Norte, e dias 19, 20 e 21, na Zona Sul.

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP