estação

quando varei a amar uma mulher
ela lembrou do homem que fala
de todos os homens antropófagos.

matéria delicada e bruta, me amam.
mas se adoram a carne, cospem os lábios-livres.
me acusam, abjetam, renegam.

por que eu sou mulher.

eu quase chorei, quase
e não aconteceu nenhum milagre.

mas eu estou por vir.

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Tânia Costa 17 de maio de 2010 11:11

    Lindo!
    Amei te conhecer…

    […] E La Loba canta com tanta intensidade que o chão do deserto estremece, e enquanto canta, o lobo abre os olhos, dá um salto e sai correndo pelo desfiladeiro.

    Em algum ponto da corrida, quer pela velocidade, por atravessar um rio respingando água, quer pela incidência de um raio de sol ou de luar sobre seu flanco, o lobo de repente é transformado numa mulher que ri e corre livre na direção do horizonte. Estés (1997)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo