Vamos todos à Pindaíba lá no Beco da Lama

Foto de capa: John Nascimento

O Beco às vezes parece uma fantasia. Penso mesmo que nem exista. É coisa da imaginação, das histórias que não cansam de contar, de uma boemia tão fértil que só mesmo nos livros o Hunter S. Thompson ou no realismo ficcional e aventuroso de Hemingway.

Quando passeio por lá, geralmente aos sábados, viajo no tempo e imagino esses cenários de tantos boêmios em cervejadas alegres, em uma época de mais meladinhas, de Nazi, das festas, de Gardênia, Blackout e Helmut, tudo antes da Samba ou dos sambas.

Viajo à época preto e branca para não ver o que salta aos olhos no tempo-hoje. Abandono do poder público, do poder artístico, do poder libertário essencial. A insegurança prendeu a liberdade e a autonomia do Beco.

pindaibaMas a arte é criativa e resistente. E perdoem o trocadilho, mas uma revista com o sugestivo nome de Pindaíba promete movimentar o esquecido Beco no próximo dia 2 de julho. Nazaré será a vitrine para o lançamento desta quarta edição, com pintura de painel, shows e sarau poético.

A programação está sendo montada. Mas está confirmado show com Yrahn Barreto e Romildo Soares e a discotecagem do DJ Russo. E ali nos muros próximos será pintado um painel alusivo à seção da revista intitulada “Tô Puto”, onde pessoas podem pintar suas indignações.

A Revista Pindaíba é uma publicação independente, sem vínculo com poder público, empresas, etc. Por isso demora um bocadinho para ser publicada. Mas vem sempre bem canchuda, com quase 200 páginas de conteúdo voltado à contracultura.

Os editores são uma rapaziada boa de Fortaleza que pretende vir para o lançamento: André Dias, desenhista e diretor de animação; Manoel Carlos, historiador e professor; e Claudio Bentemuller, estudante de Ciências Sociais.

Se na última edição teve uma entrevista massa com nosso poeta processo Falves Silva, essa nova traz matéria documental escrita pela contista e professora Cellina Muniz, que resgata a história do Beco desde 1916, com relatos e fotos desde o Bar de Odete.

Vale destacar também uma seção chamada Contos do Mundo Cão e Poemas da Contramão, além da homenagem ao poeta cearense Mário Gomes, falecido recentemente, e ainda HQ´s e trechos do Dicionário Involucionário.

Os organizadores da festa – Cellina Muniz e Thiago Medeiros – idealizaram um vale revista ao preço de R$ 20 para ajudar nos custos do evento e para adquirir uma publicação com quase 200 páginas de ótimo conteúdo.

E com esse espírito de resistência, seja pelo viés da arte ou da política (apartidária), espaços se mantém com vida e as vozes ecoam. Tem sido assim no Iphan, com a revista Pindaíba e pode ser assim no Beco. Acredito nessa força de mobilização com um foco possível.

O Beco não precisa da Samba ou permanecer inerte à espera do poder público. Iniciativas como esta podem e devem acontecer toda semana. Harryson, Ramos (Dunga, onde estás?), Nazaré, Lula e Ricardo, movimentam à sua maneira aquelas adjacências. Mas podemos mais.

Que a nossa pindaíba permanece livre!

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

There is 1 comment for this article
  1. Cellina Muniz 15 de junho de 2016 9:22

    Gente, os vales da Revista Pindaíba já estão disponíveis. Quem adquirir, ao preço módico de R$20, além de ajudar com a festa de lançamento e receber a revista, também concorre a dois sorteios: o de uma pintura já emoldurada de Tiago Vicente e outro de uma cesta de livros. Para a festa já temos algumas atrações confirmadas: DJ Russo, o dueto Yrahn Barreto e Romildo Soares, o grande Carlança Sena, além de sarau poético e intervenções teatrais.
    É dia 2 de julho, em frente ao Bar de Nazaré, a partir de 12h! Vamos lá prestigiar nosso Centro Histórico de Natal e celebrar a amizade!
    Para adquirir o vale, entrar em contato com cellina.muniz@bol.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo