Estratégias do nada

Não tenho tempo nem paciência para ler a maioria dos colunistas da FSP e seu raivoso conservadorismo. Quase por acaso, li hoje a coluna “Aduladores do caos”, de Reinaldo Azevedo. Possui traços em comum com seus congêneres da FSP e de outros órgãos similares: acusações genéricas, alvos não identificados, auto-vitimização. Parece anti-comunismo pré-Kruschev, para não falar em pré-queda do Muro de Berlim.  A falta de argumentos conduz ao nada. Lembra personagens de Beckett – sem o brilho estilístico do dramaturgo.

Tédio, tédio.

O risco é convidar a não ler jornal. Uma pena para esse objeto.

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP