Eu

mulher desabrochando

Estou morta:
Em mim…
Não escrevo,
Mas penso…

Penso tanto…
Não canto,
Nem me encanto,
Também não bebo pranto

Destilo alma,
E desencanto…
O que vem de mim é uma sombra
É um “sem riso”.

Estou mar, estou profundo…
Sinto-me fora do mundo
Mundo- IMUNDO,
Pano sem fundo, abismo sem fim,

Nem começo,
Mundo…
Apenas como uma pena, flutuo…
Não estou triste,

Estou – só – “comigo”.
Pisando areia…
Com pés descalços,
Sem pressa,

Eu.
Pele molhada,
Água & Sal..
Cabelos ao vento,

Sossego solto…
Liberdade,
liberdade…
A dor morreu.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo