Eu acuso

Eu acuso todas as torturas praticadas em nome da defesa da América. Com o olhar cúmplice da América e aliados. Eu acuso o extermínio do povo Palestino por Israel armado pelos EUA e França.

Eu acuso a desumanidade das prisões de Abul Grhaib e Guantânamo, comandadas pelos xerifes do mundo. Eu acuso a violência de soldados americanos estuprando muçulmanos.

Homens nus, suspensos e indefesos levando pancadas nas pernas em prisões de segurança máxima.
Nenhuma possibilidade de defesa. Dias sem dormir até o enfraquecimento máximo. Até sugar toda a humanidade.
Nenhuma confissão. Quando revelada, falsa.
Eletrochoques, cachorros selvagens, véus e toalhas molhadas cobrindo as cabeças simulando afogamento.

Sob o olhar e a cumplicidade dos chefes de estados e governantes,
a convenção de Genebra dos direitos humanos é rasgada.
Donald Rumsfeld, Colin Powell e o presidente dos Estados Unidos da América, eu acuso.
Eu não desejo pegar esse “Taxi para a Escuridão”.
Não adianta bater, eu não falo.
Vocês não podem ter direito á minha vida.

Pelos direitos humanos eu luto. Pela vida humana.
Para eles todos são suspeitos.
Todos estão suspensos e levando porrada.
“Quem se eu gritasse… “ Em nome de quem e de quê eles podem julgar?
Como podem tratar um ser humano como o bicho mais abjeto.
Não pude acreditar no que vi. O estomago ainda está dando reviravoltas.
Chamar de gorila não é justo para com esses torturadores treinados pela maior potencia econômica do planeta: EU ACUSO.

Físico, poeta e professor [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 10 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo