Eugênio Neto

A morte de Eugênio Neto vira uma página da história do jornalismo político do Rio Grande do Norte. Grande figura humana. Não concordávamos com nada em matéria política, mas nossa amizade não precisou de afinidades ideológicas. A última vez o vi, logo após a publicação da Preá que fez uma matéria com ele, Eugênio me disse: “Tinha até escrito um artigo sobre você, mas agora não posso mais publicar. Pois vão dizer que essa matéria da Preá foi um negócio”.  Disse rindo com as mãos trêmulas, quase derramando o café ao balançar a xícara. Aos seus familiares, minha associação à saudade.

Foto: João Maria Alves

Ex-Presidente da Fundação José Augusto. Jornalista. Escritor. Escreveu, entre outros, A Pátria não é Ninguém, As alças de Agave, Remanso da Piracema e Esmeralda – crime no santuário do Lima. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. Thiago Eugênio 1 de outubro de 2010 11:45

    Ao Eugênio Neto, minhas eternas saudades, aos amigos meus sinceros agradecimentos por todo apoio e carinho. Como jornalista e político foi um homem de personalidade forte e convicções perenes, admirado por muitos e respeirado por todos. Como meu avô, foi o pai que nunca tive, carinhoso, alegre e divertido. Te amo muito meu veio!!!

  2. Jarbas Martins 1 de outubro de 2010 9:26

    No lado esquerdo do peito carrego os meus mortos mais queridos.Eugênio junta-se agora a eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo