Eulício Farias de Lacerda

Por Eldio Pinto da Silva

Na edição de As Filhas do Arco-Íris (1980), publicada pela Editora Ática, são apresentados os seguintes dados do autor: Nordestino, ou melhor, sertanejo do Vale do Piancó, alto sertão da Paraíba, Eulício Farias de Lacerda ali nasceu e viveu grande parte de sua mocidade, onde conheceu, de perto, e foi testemunha dos dramas e angústias do Homem e da terra assolada pela seca (ou inundações), a fome, o cangaço, o coronelismo e as injustiças sociais.

Por outro lado, o autor vivenciou (e disso se orgulha) todo esse mundo de superstições, crendices, costumes e tradições populares, onde o real muitas vezes se mescla com o fantástico e o lendário, de que é tão rica a região. E é dentro desta temática (a terra, o homem e suas tradições) que ele busca tirar os elementos para a criação de seus tipos e personagens e procura realizar a sua obra de ficcionista, cuja estréia é 1973 com o romance O Rio da Noite Verde e seguindo-se este ano com As Filhas do Arco- Íris e Os Deserdados da Chuva. Este último de contos. (p. 4).

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo