Êxtase

desejo

Meu olhar
Atravessou
A sala
E aportou
Nos teus olhos.

E o teu
Respondeu-me
Imediato
Em um “sim”
De igual desejo.

Depois já não era
Sala, mas quarto:
Quatro paredes
Testemunhas
Do amor.

Meus dedos
Adivinharam
Teus toques;
Teu corpo,
Adivinhou os meus.

Em olhares, toques, suores,
Convulsionamos em uivos animais,
Á indiferença da janela
Marcada pelos teus dedos
E pela chuva que caía fora.

Comments

There are 6 comments for this article
  1. Anchieta Rolim 2 de Março de 2012 10:08

    Puro êxtase! Valeu Danclads. Belo poema.

  2. Regiane de Paiva 2 de Março de 2012 13:43

    Acabei de ver sua poesia numa indicação feita no facebook por José de Paiva Rebouças (um dos colonistas daqui). Poxa vida, eu tiro o meu chapéu para este poema cheios de sentidos. Quisera eu escrever com tanta verdade, simplicidade e erotismo. Adorei!

  3. Danclads Andrade 3 de Março de 2012 9:42

    É sempre uma honra para mim receber um comentário de um poeta como você.

    Valeu, Anchieta!!

  4. Danclads Andrade 3 de Março de 2012 9:43

    Obrigado, Regiane por esta leitura generosa deste meu poema.

  5. Romana Alves Xavier 6 de Março de 2012 9:20

    Belo, Danclads, parabéns!!! “Meu olhar atravessou a sala e aportou nos teus olhos…”

  6. Danclads Andrade 6 de Março de 2012 18:03

    Romana, querida, fico feliz que tenhas gostado. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP