A “família” bolsonara malafaiana

Por François Silvestre

O tal estatuto moralista, a ser votado na Câmara, define família como um núcleo com homem, mulher e filhos. E cristã. Se não forem cristãos, mesmo tendo homem e mulher, não é família. Se forem netos criados por avós, não é família. Se forem irmãos órfãos, não é família. Se forem pais ou mães, do mesmo sexo, com filhos adotivos, não é família. Porém, se forem cristãos, corruptos, traficantes, assaltantes, assassinos, sendo um núcleo “familiar”, mesmo delinquente, será família; desde que tenha um pênis, uma vagina e um ou mais rebentos. Os moralistas dão nojo! Peguem esse “estatuto” de vocês e enfiem no monossílabo.

Ex-Presidente da Fundação José Augusto. Jornalista. Escritor. Escreveu, entre outros, A Pátria não é Ninguém, As alças de Agave, Remanso da Piracema e Esmeralda – crime no santuário do Lima. [ Ver todos os artigos ]

Comments

There are 3 comments for this article
  1. Matheus D'Leon 28 de Junho de 2015 12:03

    François Silvestre,vou mais além,”MENTES ATRASADAS”,num tempo que todos falam bonito em nome de Deus e o famoso dedo apontado para falar mal do próximo,não estou justificando nenhuma religião,respeito todas,até mesmo o ateu,e tenho muitos amigos ateus e nem por isso foge o respeito.
    Eles fazem de DEUS UM SER ATRASADO.
    FAMÍLIA É SAGRADA,QUANDO TEM AMOR,RESPEITO E UNIÃO E NÃO IMPORTA SEXO,TODOS TEM O DREITA DE SER FELIZES.

  2. Matheus D'Leon 28 de Junho de 2015 12:07

    CORREÇÃO:
    TODOS TEM O DIREITO DE SEREM FELIZES.

  3. François Silvestre 29 de Junho de 2015 14:17

    É por aí, Matheus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP