“Febre do Rato” vai na contramão da indústria

Filme de Cláudio Assis usa a poesia como forma de arte transgressora.  Diretor pernambucano continua fazendo cinema de guerrilha e diz que se manter íntegro é uma guerra.

aqui

Comentários

There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 10 =

ao topo