Fernanda Giannasi é premiada nos EUA

Por Conceição Lemes
No Vi o Mundo

Nesta semana, o Senado dos Estados Unidos aprovou por unanimidade a resolução 427. Ela torna o período de 1 a 7 de abril na Semana Nacional da Consciência Antiamianto e estimula a classe médica a alertar e educar os estadunidenses sobre os riscos da exposição ao amianto.

A resolução 427 ressalta que todo tipo de amianto é cancerígeno ao ser humano.

Assinala que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) e Associação Médica Americana, “não há nível seguro para exposição ao mineral”, e que “as fibras do amianto podem provocar mesotelioma [tumor maligno incurável, 100% fatal], asbestose [ou “pulmão de pedra”, leva lentamente à morte] e outros problemas de saúde”.

Acrescenta ainda: “De acordo com a Organização de Conscientização das Doenças do Asbesto (Asbestos Disease Awareness Organization – ADAO), mais de 10 mil americanos morrem anualmente devido à exposição ao amianto e os números estão crescendo”.

Emblematicamente, neste sábado, a engenheira brasileira Fernanda Giannasi recebe em Chicago, nos EUA, o recebe prêmio Inspiração 2010 ADAO. ADAO é voz das vítimas do mineral assassino lá. Fernanda é a auditora fiscal do Ministério do Trabalho, fundadora da Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto (Abrea) e coordenadora da Rede Virtual pelo Banimento do Amianto na América Latina e símbolo da luta antiamianto no Brasil.

“O prêmio é um tributo pelos seus mais de 25 anos de trabalho para equacionar a terrível herança causada pelo uso generalizado do amianto no Brasil e em toda a América Latina”, ressalta a ADAO, em nome da comunidade internacional. “Fernanda combina compaixão e sentimento de justiça com rara competência técnica. Qualidades que fazem com que seja dura e constantemente atacada pela indústria e pelo lobby do setor. Ao mesmo tempo, querida pelas milhares de vítimas e familiares do mineral assassino no Brasil e respeitada pelos especialistas e autoridades sérias na área da saúde. ”

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × dois =

ao topo