Festival Dosol inverte rota da colonização e invade Europa com vários shows

Anderson Foca, ao lado do maestro Bembem, são sem dúvida as duas figuras mais influentes da história da música potiguar. Não falo de talento, falo de influência. O maestro mantém trabalho decano de formação de músicos eruditos e instrumentistas no esquecido interior norte-rio-grandense. Foca produz álbuns de bandas e músicos também há décadas e só expande o alcance do Festival Dosol. e a novidade desta postagem já está no título: o Velho Continente abrigará também o evento.

A parceria será feita com outro renomado festival, o Bananada, realizado em Goiânia. O palco dos dois festivais estará fincado em Lisboa e Porto (Portugal). E alguns artistas do line up também participarão do Primavera Sound, em Barcelona (Espanha), fruto da ação do Dosol e do Bananada. Em Portugal serão três dias de shows.

A única banda potiguar selecionada pela curadoria do festival, entre as indicações do Dosol foi o Far From Alaska, mas não poderão participar. O Mahmed representará o som do RN na Europa no Primavera Sound, fruto da indicação do próprio selo deles, o Balaclava.

Camarones Orquestra Guitarrística no Primavera Sound, em 2015
Camarones Orquestra Guitarrística no Primavera Sound, em 2015

A afinidade entre os dois festivais contribuiu para o feito do evento na Europa. O produtor do Dosol e colunista deste portal, Anderson Foca, explica melhor: “Temos grande afinidade de proposta com o Bananada, do ponto de vista da inserção da cena das cidades dentro dos festivais. O Dosol hoje recebe no mínimo 30 artistas potiguares em cada edição e se espalhou para pelo menos 15 cidades do Nordeste, em novembro. Agora, atravessamos oceano”.

Se o Dosol completa este ano 15 edições, o intercâmbio com a cena europeia é mais recente, construída nos últimos cinco anos, principalmente junto ao cenário musical português, com destaque para o Naam, em Braga, e com alguns festivais europeus, a exemplo do Primavera Sound.

“Quando se está no ativismo cultural a gente não fica olhando muito para trás, não dá tempo. Fomos absorvendo essa relação com a Europa e quando vimos, tínhamos tudo bem adiantando para finalmente agir por lá. Tudo muito natural e expontâneo, fruto de muita confiança e interação de todos os lados. Não sabemos a dimensão disso e onde vai dar, mas importante é que está acontecendo e é muito sólido para as cidades envolvidas e seus agentes”, frisou Foca.

O coordenador do Festival Bananada, Fabrício Nobre, também deu um pitaco: “Temos ótimas relações institucionais dos dois festivais com a cena europeia. Juntos, Dosol e Bananada já circularam dezenas de artistas internacionais e isso só aumentou nos últimos anos com a nossa aproximação com o Primavera Sound, um dos maiores festivais da Europa, e com vários parceiros na Alemanha, Inglaterra e Portugal. Foi natural rumarmos as nossas atividades para Europa para aumentar essa ponte e envolvimento”.

Estão no lineup Water Rats (BR), Inky (BR), O Terno (BR), Aldo The Band (BR), Solar Corona (POR), Bad Legs (POR), além de participações do Legendary Tigerman (POR) e Hélio Morais dos PAUS (POR). Os três dias de shows acontecerão entre 26 e 28 de maio. E o Primavera Sound, entre 2 e 5 de junho.

FOTO DE CAPA: INDICA NATAL

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

Be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP