Fiapo

Por Carlos Gurgel

me olha assim
como um fiapo

entre colchas de atalhos
e de uma rubra luz
que alucina binóculos e vadios barcos de pesca

como se eu fosse
uma piscina furta cor
absorvida por poemas e seringas

e a serpente
que de tão folgazã
sacia sua vida
rima irmã
de seu capacho e sobrado.

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + sete =

ao topo