Flaubert ou o erotismo acidental

Por Homero Fonseca

No último Sarau Plural,um dos textos lidos por mim como exemplo da mais alta literatura erótica, sem apelar para a narração direta dos fatos, num exerício de sutileza genial, foi o famoso trecho da carruagem desgovernada em Rouen, do romance “Madame Bovary”.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo