Fórum Potiguar de Cultura (considerações)

Por Esso A.

O Fórum Potiguar de Cultura, realizado no último de fevereiro, ocorrido sem maiores incidentes, foi dos momentos que já vivenciei – dos ligados à arte do RN – que mais me felicitaram. Íntegro, com boa presença de público, plateia qualificada, representativa, participativa, ativa, solidária, ávida para em conjunto conquistar melhores condições para desempenhar dignamente seus trabalhos, e como retorno, conseguir o desenvolvimento dos segmentos em que atuam, objetivamente, a fim de construir coletivamente uma política cultural para a nossa área. Foi bonito! Foi produtivo, e oportuno.

Uma vitória para os que, como eu, sempre nutriram a esperança de reunir cada vez mais a classe artística, para que ela continuamente esteja num movimento de se aproximar mais, se articular mais, se fazendo representar socialmente, não se omitindo diante desse período que se configura tão importante para os rumos do panorama cultural brasileiro. O início de nossa atividade presencial dentro de um fórum com essa característica traz exatamente o oxigênio que precisamos para fortalecer o ambiente em que nós do segmento artístico e cultural (con)vivemos, e para essa primeira ocasião, termos conseguido extrair diretrizes que podem e devem orientar a construção de uma política pública para o estado, isso foi muito razoavelmente significativo.

Para mim, uma das coisas mais importantes, foi termos feito tudo com nossas próprias mãos. Sensacional!, embora muito trabalhoso. Porém, ao fim, ao ver tudo se dando de uma maneira tão concreta, foi maravilhoso. O suficiente para mais me estimular a insistir em regar essa mesma ideia fixa, de que vamos dar conta de continuar reunindo intersetorialmente os diversos segmentos artísticos para discutir e propor rumos de uma política cultural para nossos lugares. Este tem sido um propósito do grupo Locau!, que vem fazendo assim desde 2008.

Quero aqui aproveitar para agradecer a presença dos mais de 100 participantes que estiveram presentes ao auditório do IFRN, assinaram aquela lista na entrada e se dispuseram a contribuir efetivamente com tudo o que rolou ali, nos dois expedientes. As autoridades, os convidados, a imprensa, os artistas, produtores e demais interessados, todos enfim.

Para os próximos passos, após a sistematização e digitalização do conteúdo da plenária, que deveremos disponibilizar logo após o carnaval, temos a missão de entregar oficialmente, protocolarmente, o resultado desse fórum às mãos de gestores públicos e privados que estão no âmbito da esfera cultural, o que será feito através da comissão de interlocução escolhida justamente para esse fim. Faço um apelo para que mesmo os que não estão entre os titulares e suplentes dessa comissão também possam oferecer apoio aos eleitos, voluntariamente. O processo de votação foi quase simbólico, e ao meu ver, não deve restringir a participação de quem se colocou à vontade para colaborar com essa fase. Inclusive nos auxiliando aqui, na comissão executiva, que prosseguirá organizando novos passos nossos à frente, aceitando a ajuda de outros integrantes, desde que tenha uma postura contributiva e esteja com a intenção de construir com boa vontade um melhor amb iente para a nossa arte.

Nossos desafios não são pequenos e poderemos evoluir rapidamente, bastando para tanto mantermos o foco, participando ativamente desse processo, identificando a partir de nossa realidade as demandas que podem subsidiar a execução de um bom programa para a nova secretaria e decididos a inserir o estado em progressos importantes que estão em andamento, como o sistema nacional de cultura por exemplo, dentro do qual teremos que construir um plano para o estado e outro para o município, nos colocando em condições de acompanhar o resto do país.

Já estamos a construir um novo momento para este fórum dentro de evento que ocorrerá na UFRN no início de maio próximo, o que poderá rapidamente potencializar nossa tessitura, nos reforçando a capacidade de não só demonstrar que estamos cada vez mais atentos ao amadurecimento de nossas posições e causas, quanto também às possibilidades do que poderemos gerar em conjunto.

Unidade!

www.sitiodoesso.com

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo