FOTOGRAFIA: Um ensaio magistral sobre a dura jornada nos carnaubais do Vale do Açu

Essas seções fotográficas tem mostrado mais do que um mosaico de imagens temáticas ou esteticamente belas. Muitas vezes expõe obras de artes ou ensaios documentais importantes, como julgo ser este do fotógrafo Jean Lopes. É um verdadeiro mergulho na cultura extrativista da carnaúba na região do Vale do Açu. Por lá, a cultura da carnaúba é tradicional e fortemente preservada em inúmeras atividades e em variadas formas de artesanato. As imagens integram uma matéria muito bem elaborada pelo jornalista Esdras Marchezan, que pode ser lida AQUI. Abaixo, homens, expressões, costumes, tradições e muito pó de carnaúba. Como registras o repórter, “são grupos de 20 a 30 trabalhadores que passam até 15 dias embrenhados no mato, em jornadas de trabalho que ultrapassam as 10 horas. De longe, uma floresta se avista com carnaúbas que podem chegar a 20 metros de altura. A resistência da árvore é tanta que ela possui uma vida produtiva estimada em 200 anos. Em alguns lugares, é chamada de “árvore da vida”, tão grande é o aproveitamento de suas partes”. Segue o trabalho de mais um fotógrafo potiguar, mais um aphotista:

unnamed

unnamed (2)

unnamed (3)

Extração da cera de carnaúba no Vale do Açu

Extração da cera de carnaúba no Vale do Açu

Extração da cera de carnaúba no Vale do Açu

Extração da cera de carnaúba no Vale do Açu

Extração da cera de carnaúba no Vale do Açu

Extração da cera de carnaúba no Vale do Açu

Extração da cera de carnaúba no Vale do Açu

Extração da cera de carnaúba no Vale do Açu

Extração da cera de carnaúba no Vale do Açu

Jornalista por opção, Pai apaixonado. Adora macarrão com paçoca. Faz um molho de tomate supimpa. No boteco, na praia ou numa casinha de sapê, um Belchior, um McCartney e um reggaezin vão bem. Capricorniano com ascendência no cuscuz. Mergulha de cabeça, mas só depois de conhecer a fundura do lago. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − sete =

ao topo