Fragmentos

FRANÇOIS
O “furo” jornalístico conseguido pela repórter Gabriela Freire, com uma entrevista esclarecedora com o antigo diretor geral da Fundação José Augusto e autor do recente livro Alças de Agave, François Silvestre foi curioso. A primeira ligação da repórter foi recebida por uma senhora que, ao ser indagada sobre se o número pertencia a François, negou e desligou na cara da repórter. Numa segunda tentativa, insistente, atendeu o próprio François, monossilábico que só ele. “Diga”. “Pergunte”. Diz a repórter que ele só se alterou ao comentar um equívoco publicado em matéria do JH 1 Edição.

SEIS E MEIA
A polêmica hipótese do fim do Projeto Seis e Meia, levantada por este blog, pode dar uma reviravolta. Mas nenhum mérito cabe ao diretor geral da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto. Comenta-se que foi preciso interferência da governadora Wilma de Faria, em conversa particular com o heróico produtor do projeto, Wilian Collier. Pelo visto, o projeto – o mais longevo do Estado – pode continuar, mesmo aos trancos e barrancos, como tem se arrastado há alguns anos.

LITERATURA
Gostei da lista de obras literárias recomendadas pela Comperve para o vestibular 2009. Achei boa a variação dos gêneros e autores. Mesmo banal e ofício para pobres de escrita como este escrevinhador de cenas da esquina, a crônica está presente na Coleção Para Gostar de Ler (Volume 7), com vários autores. O conto tem o bom Drummond como representante, na obra Contos de Aprendiz. O clássico de Graciliano Ramos, Vidas Secas é obra obrigatória a qualquer estudante. Além dessas, Eles Não Usam Black-Tie, texto para teatro, de Gianfrancesco Guarniere.

MIRABEAU
Meio atrasado o comentário, mas ainda válido: a entrevista com o compositor Mirabeau no ainda excelente programa Memória Viva foi sensacional. Além do apresentador/mediador, Tarcísio Gurgel, a jornalista Rejane e o jornalista Carlos de Souza, o Carlão. Apenas reforcei a idéia de que nossos talentos não devem nada a ninguém. Pelo contrário. Quem tem um Mirabeau ainda em atividade não precisa de muito mais. É nosso maior poeta musical, sem dúvida. Dou por visto – ainda não tive acesso – ao livro sobre Areia Branca, com as poesias escritas por Deífilo e musicadas por ele. Imagino uma maravilha.

ENTREVISTAS
A edição de O Poti deste domingo virá com uma entrevista bacanérrima com o jornalista e poeta maior destas plagas, Sanderson Negreiros. Há tempos ele não dava entrevistas e resolveu falar à repórter Hayssa Pacheco de sua obra e novo livro. Para a outra semana, outra boa entrevista com o crítico e poeta vencedor de dois prêmios Jabuti, Frederico Barbosa. O rapaz mete o aço em Ariano Suassuna e Ferreira Gullar. Durante a semana, outro luxo: um “pingue-e-pongue” com o poeta do “kaos”, Jorge Mautner. A entrevista foi feita a este blogueiro nada menos que há dois anos, numa mesa de bar, na boa Ribeira. Tudo inédito.

CINEMA
Uma dica bacana de programação para este domingo, e que eu coloco aqui no final do post para não lotar o Teatro de Cultura Popular e eu minha amada ficarmos sem ingresso. Vai ser exibido por lá o filme nacional, elogiadíssimo pela crítica, Árido Movie. Ingressos a preços populares. Salvo engano, coisa de R$ 2. O horário é às 17h. No Cinemark e Moviecom, a programação também está muito boa: “4 meses, 3 semanas, 2 dias”, vencedor da Palma de Ouro, em Cannes. Tem ainda O Caçador de Pipas, Juno, Rambo 4 (eu gosto!) e Mutum. Quem preferir, tem Som da Mata a partir das 16h30, também domingo e no Parque das Dunas, com Sérgio Groove e Primata. Boa pedida, também. É 1 R$ o ingresso.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo