Franco-senegalesa ganha o Prêmio Goncourt

senegal

“A escritora franco-senegalesa Marie NDiaye ganhou o Prêmio Goncourt, a mais importante premiação de literatura da França – e uma das maiores do mundo – pelo romance “Trois femmes puissantes” (“Três mulheres poderosas”), da editora Gallimard. Filha de um senegalês e uma francesa, Marie faz um relato sobre a luta de três mulheres de origem africana na Europa: Fanta, senegalesa que vive na França; Norah, advogada francesa com raízes na África ocidental; e Khadi, jovem senegalesa que tenta imigrar para a Europa sem permissão.

Nascida em 1967, em Pithiviers, ao sul de Paris, Marie é autora de romances, contos e obras de teatro, e vive em Berlim. Em 2001, ela ganhou o Femina, outro importante prêmio literário francês, por “Rosie Carpe”. A escritora disse à TV France-2 que estava “muito feliz por ser uma mulher ganhadora do Goncourt” e que “a união entre histórias tocantes e o estilo” deve ter atraído os jurados:

Criado há 105 anos, o Goncourt escolhe o que considera a melhor nova obra da literatura francesa e, ainda que não $premiação em dinheiro, o título costuma dar grande prestígio e sucesso de vendas ao vencedor. Escritores que hoje estão entre os maiores nomes da literatura francesa já receberam o prêmio, como Marcel Proust, Simone de Beauvoir e Marguerite Duras.

O ganhador do Goncourt no ano passado foi o afegão Atiq Rahimi (também de nacionalidade francesa), pelo romance “Syngué sabour: Pedra-de-paciência”, sobre o sofrimento de uma mulher que cuida de seu marido, que ficou paraplégico numa guerra.”

Go to TOP