Gilberto & Gilbertos

sergio buarque de holandaAmigos:

Gilberto Freyre é um ensaísta de excepcional qualidade, no nível de Euclides da Cunha e Sérgio Buarque de Hollanda (foto). Se Euclides é uma consciência via paradoxo, Sérgio é uma conciência de sutilezas e Gilberto é uma consciência via avessos: louva os lusos mas deixa ver muito mais a cultura afro-indígena; simpatiza com direitas horrendas na política todiana mas descortina poderes populares em seus brilhantes ensaios.

Fui aluno de graduação em História na primeira metade dos anos 70, auge da ditadura. Gilberto era politicamente execrado – com motivos palpáveis para tanto. Mas quando nós líamos “Casa grande & Senzala”, entendíamos que o homem era muito mais que aquele ideólogo de plantão, era um grande esscritor e pensador.

Nós, potiguares, até entendemos mais Gilberto porque tivemos Cãmara Cascudo como exemplo: ótimo ensaísta, permite-nos ver a erudição popular mas apoiou políticas lastimáveis – do Integralismo à Ditadura de 64/84. Os livros de Cascudo (como os de Gilberto) não são direitistas, estão além dessas dicotomias imediatas.

Abraços:

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

ao topo