Governo anunciará R$ 26 milhões para cultura e reforma do TAM nesta sexta

Agora a ação passou do campo abstrato para o concreto. A reforma do Teatro Alberto Maranhão já tem data para começo e previsão para execução das obras, após um ano e dois meses fechado.

Durante solenidade programada para às 10h desta sexta-feira, na Pinacoteca, o governador Robinson Faria e titia Isaura irão anunciar essa e outras novidades prometidas como o maior investimento em cultura na história deste Rio Grande, num total de R$ 26 milhões.

Apenas para o TAM estão reservados aproximadamente R$ 8 milhões. Os recursos são oriundos do projeto RN Sustentável.

Exatamente R$ 5.225.995,04 milhões serão destinados apenas para reforma do TAM. Ainda está em curso o levantamento elaborado pela Fundação José Augusto para aquisição de móveis e equipamentos necessários, incluso uma concha acústica de última geração. Para esta outra parte serão destinados entre R$ 2,5 e R$ 3 milhões.

Para a reforma foi aberta licitação no último 29 de julho, publicado no Diário Oficial do Estado. A abertura das propostas está agendada para próxima segunda, dia 8. E assim que a FJA concluir o levantamento, também será aberta licitação para aquisição dos móveis e equipamentos.

Toinho-Silveira_teatro“O TAM ainda dependia do PAC Cidades Históricas para reabrir. Sabíamos que esse dinheiro não viria. Então procurei a secretária Juliane Faria (do Trabalho, Habitação e Assistência Social), mostrei a seriedade do problema e, juntos, fomos ao Gabinete Civil do governo procurar uma solução. O RN Sustentável pareceu ser o mais viável e Ana Guedes, gestora do projeto, acatou nossa sugestão. Levamos a proposta ao governador Robinson Faria que não só foi sensível à causa, mas pediu prioridade para esta ação, que agora conta também com o apoio da Fundação. Se dependêssemos do PAC o TAM permaneceria fechado sabe-se lá até quando”, relatou o atual diretor do teatro, Toinho Silveira.

Conforme consta no edital, o início das obras se dará logo após a abertura dos envelopes do processo e a consequente definição da empresa contratada. A conclusão está estimada em oito meses. Portanto, entre março e abril de 2017 o TAM voltará à classe artística.

Outros investimentos
Tentei a informação de quais outros investimentos serão anunciados. Também estão previstos, dentro do orçamento do RN Sustentável, vultosos montantes para reformas da Escola de Dança do TAM, do Museu Café Filho e do Memorial Câmara Cascudo, todos com licitações já publicadas no DOE.

Segundo Isaura Rosado, as licitações para a Biblioteca Câmara Cascudo e para o Teatro Adjuto Dias (Assu) deverão ser abertas ainda esta semana.

Ainda estão sendo organizados projetos complementares para o Planetário e do Palácio Potengi, nossa Pinacoteca.

Em entrevista para este blog, o então diretor da FJA, Crispiniano Neto garantiu “aplicar uns R$ 12 a 15 milhões na infraestrutura das Casas de Cultura, com climatização dos auditórios, caixas cênicas em todos eles”. Mas Isaura adiantou que não virão dessa vez. “Aliás, quando cheguei à FJA fui comunicada na primeira conversa que esse montante não iria ter”, disse a gestora.

De toda forma, pelo atual momento vivido, o anúncio de investimentos volumosos exclusivos para equipamentos culturais é de suma importância e deve ser motivo de comemoração, sim.

FOTO: Rony Carvalho

Acredito que música, literatura e esporte são ansiolíticos dos mais eficazes; que está na ralé, nos esquisitos e incompletos a faceta mais interessante da humanidade. [ Ver todos os artigos ]

Comments

There is 1 comment for this article
  1. Roberto Cardoso (Maracajá) 8 de Agosto de 2016 8:24

    A Pinacoteca do estado está com péssimas condições de acessibilidade.
    A começar pelo enorme caranguejo na porta da frente, ocupando a calçada e impedindo a rampa de acesso na calçada. qualquer pedestre não tem disponível a calçada, é preciso subir e descer as escadas.
    Carros formando uma fila ficam estacionados junto meio fio com a faixa amarela de piso táctil
    O prédio não conta com plataforma elevatória para acesso ao andar superior

    Na ultima sexta feita um escritor com dificuldades temporárias de deslocamento, ficou impedido de comparecer a um evento literário no piso superior, por falta de elevador.
    Além do impedimento ao evento, teve dificuldades de acessar o prédio com o caranguejo na porta, com a rampa impedida da rua para a calçada, e as escadas na frente que não oferecem um a rampa

    Quando foi questionado ao diretor da pinacoteca, sobre o local do caranguejo, ele afirmou não ser de sua responsabilidade, pois quando chegou ao prédio a escultura já estava colocada. Talvez ele não saiba que a calçada também é de sua responsabilidade, como a calçada de qualquer prédio, qualquer imóvel. É um espaço publico mas responsabilidade do proprietário, locador , locatário, ou administrador do imóvel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP