Grande Tom Jobim

Por Luis Felipe Duarte

Já é tarde da noite, mas ainda dá tempo de homenagear esse gênio da música brasileira. Em 25 de janeiro de 1972, nasceu essa pérola que criou belíssimas canções ao lado de tanta gente boa: para citar alguns, João Gilberto, Frank Sinatra, Stan Getz, Edu Lobo e Vinicius de Moraes (que foi seu parceiro e amigo querido, de onde o próprio maestro se intitulava “O Tom do Vinicius”).

Se estivesse vivo, faria anos hoje, e por isso fica aqui esta lembrança. Ao grande Tom, que ainda hoje, com seus belos e muitos tons, continua a colorir, com rica matéria sonora, com imenso amor, as melodias da vida.

Comentários

Há 2 comentários para esta postagem
  1. joão batista de morais neto 2 de fevereiro de 2011 11:01

    Na trilha de Villa Lobos, afim ao viés nacionalista, Tom Jobim, supermoderno, afeta cordial e exuberantemente nossas paixões.

  2. Lívio Oliveira 26 de janeiro de 2011 21:36

    O maior de nossos músicos. O maior de nossos maestros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo