Gregório Bezerra no cinema


Começam no mês que vem as filmagens do longa metragem História de um Valente, baseado na vida do líder comunista Gregório Bezerra, um dos ícones da esquerda brasileira. O filme, dirigido por Cláudio Barroso, contará a trajetória de Gregório entre 1957 e 1964.

Nesse período, o personagem teve intensa atuação política e terminou preso pelos militares. Foi o único opositor do regime militar a ser torturado em praça pública, no Recife. O protagonista será Jackson Antunes.

O filme está orçado em R$ 3,5 milhões. O longa vai contar com reconstituições em locações do Recife e do interior pernambucano. Serão reconstituídos, por exemplo, lugares como a Praça de Casa Forte (local onde Gregório Bezerra foi publicamente torturado), pontos do bairro de Jardim São Paulo (onde o comunista morou) e ainda na Zona da Mata Sul de Pernambuco.

Fiquei curioso. Tenho uma biografia de Gregório Bezerra em casa. O cara nasceu em Panelas, interior de Pernambuco, perdeu os pais ainda criança e veio para o Recife para trabalhar como carregador de bagagens na Estação Central, jornaleiro e ajudante de obras. Foi analfabeto até os 25 anos.

Gregório começou a se interessar pela política ainda jovem. Participou de manifestações em apoio à Revolução Bolchevique e das primeiras ondas de greve geral por direitos trabalhistas no Brasil. Fez parte do Partido Comunista do Brasil (PCB), do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e foi o deputado federal mais votado em Pernambuco na época da Constituinte.

De seus 83 anos, 23 foram passados na cadeia, nove na clandestinidade e nove no exílio . Gregório foi um dos 14 presos políticos trocados pelo então embaixador norte-americano no Brasil Charles Burke Elbrick. O consultor do filme, desde a primeira versão do roteiro – há três – é o filho de Gregório, Jurandir Bezerra.

A Gregório, o poeta Ferreira Gullar dedicou o poema, a História de um Valente. Veja um trecho:

“Valentes, conheci muitos,
e valentões, muito mais.
Uns só Valente no nome
uns outros só de cartaz,
uns valentes pela fome,
outros por comer demais,
sem falar dos que são homem
só com capangas atrás.

Mas existe nessa terra
muito homem de valor
que é bravo sem matar gente
mas não teme matador,
que gosta da sua gente
e que luta a seu favor,
como Gregório Bezerra,
feito de ferro e de flor”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo