Há 50 anos, o Brasil era bicampeão mundial de futebol

bicampeão

(Djalma Santos, Zito, Gilmar, Zózimo, Nilton Santos e Mauro [em pé]. Garrincha, Didi, Vavá, Amarildo e Zagallo [agachados]. Este era o esquadrão do bi).

Quando o árbitro soviético Nikolaj Latychev deu o apito final para partida entre Brasil e Tchecoslováquia, no dia 17 de junho de 1962, a história da Copa do Mundo do Chile estava decretada. A seleção brasileira venceu de virada por 3 a 1 com gols de Amarildo, Zito e Vavá. Masopust anotou para os tchecos. Há 50 anos, o futebol brasileiro se sagrava bicampeão mundial. A taça Jules Rimet, a do mundo, como em 1958, era outra vez nossa como bem dizia a música. A festa era outra vez brasileira.

No entanto, diferentemente de 58, ano do primeiro título mundial, na Suécia, o personagem principal não seria Pelé. Não que o “rei de futebol” estivesse ausente no grupo de 62. Pelé estava convocado e era uma das estrelas daquela equipe, que era a base do mundial anterior. Porém, uma contusão muscular na perna direita durante a segunda partida da competição tiraria Pelé do restante da disputa. Aquela Copa do Mundo estava reservada para outros dois nomes, Garrincha e Amarildo.

Mais: aqui

(Por Marcelo Cavalcante).

Brasileiro, nordestino, alagoano, advogado, cidadão comum, simples habitante deste planeta decadente... Rs... [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo