Herança Virtual

Acabei a leitura há pouco do artigo “Herança Virtual”, no caderno Prosa Online, de O Globo, assinado pelo advogado Gustavo Martins de Almeida (link lá emabaixo). Confesso que já pensei no assunto abordado pelo advogado, trazendo-o para a minha realidade virtual. Em caso de um afastamento temporário ou permanente meu como ficará o nosso SP? Parado é que não pode ficar. Então, minha decisão hoje é que os colaboradores, a turma das fotos aí da direita, se reúna e escolha um cristo para tocar o barco. Não tenho mulher e meus filhos, que seriam os herdeiros naturais, não se interessam por jornalismo cultural.

Então, em caso de um afastamento definitivo, o indicado para assumir como editor será o dono do SP, não terá de dar satisfação a ninguém. Minha experiência diz que somente desse jeito dá certo.  Nada de cooperativismo, gestão compatilhada ou coisas do gênero.

Agora, fiquem tranquilos. Minha saúde está ótima e continuo com os mesmos 55 quilos de quando tinha 18 anos. Meu pai já passou dos 80 e toda minha família vive muito. Não vai me acontecer nada (rs). É só precaução, afinal ninguém está livre de levar uma topada e ficar uns dias em coma ou passar dessa para uma pior. O SP é um projeto de longuissimo prazo, fiz já pensando na minha velhice.

Mas… no caso da tal topada traiçoeira, o primeiro passo é entrar em contato com Nicolau Chiavenato, da Mandrake Web (contatos no banner à direita, no topo), que ele tem as senhas e códigos para adminstrar essa nau catarineta. E toquem o barco pra frente.

clique aqui para ler o artigo.

Go to TOP