Herzog

NO SABÁTICO

Poucos livros demonstram tanto os descaminhos acidentados da vida literária quanto Herzog (1964), de Saul Bellow.

aqui

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo