HIATO

Carito

Pulo o muro, não sei se corro
Sinto no silêncio meu próprio pedido
De socorro.

Nesse hiato tem cachorro.

Comentários

Há 3 comentários para esta postagem
  1. Aline Patricia 1 de fevereiro de 2011 19:15

    É uma constante, sempre há um hiato…
    e/ou um cachorro! rs

  2. José Francisco de Oliveira 1 de fevereiro de 2011 15:26

    O silêncio é o guardião omisso do medo. Tem cachorro? Corra do hiato.

    Um poema belo e gostosamente hilário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo