HISTÓRIA ANTIGA – Miguel Torga

“História Antiga”

 

       ( Miguel Torga)

 

Era uma vez, lá na Judeia, um rei.

Feio bicho, de resto:

Uma cara de burro sem cabresto

E duas grandes tranças.

A gente olhava, reparava e via

Que naquela figura não havia

Olhos  de quem gosta de crianças.

 

E, na verdade, assim acontecia.

Porque um dia,

O malvado,

Só por ter o poder de quem é rei

Por não ter coração,

Sem mais nem menos,

Mandou matar quantos eram pequenos

Nas cidades e aldeias da nação.

 

Mas, por acaso ou milagre, aconteceu

Que, num burrinho pela areia fora,

Fugiu

Daquelas mãos de sangue um pequenito

Que o vivo sol da vida acarinhou;

E bastou

Esse palmo de sonho

Para encher este mundo de alegria;

Para crescer, ser Deus;

E meter no inferno o tal das tranças,

Só porque ele não gostava de crianças.

Comments

There are 7 comments for this article
  1. Jarbas Martins 11 de Dezembro de 2013 18:03

    Criteriosa seleção da poesia portuguesa sobre o Natal, Marcos.Foge ao que é já bastante comum, como os poemas, sobre esse tema, escritos por Fernando Pessoa. Vejo essa sua seleta como um brinde aos leitores do Substantivo Plural, do bravo Tácito Costa.

  2. Anchieta Rolim 12 de Dezembro de 2013 7:42

    MAAAAAASSA!!!

  3. Marcos Silva 12 de Dezembro de 2013 21:17

    Grande abraço de gratidão em Jarbas e Anchieta.

  4. DAMATA 13 de Dezembro de 2013 10:22

    Miguel Torga é maravilhoso

  5. Marcos Silva 13 de Dezembro de 2013 14:33

    É mesmo, João, temos muito a aprender com os manos lusos.

  6. Tânia Costa 13 de Dezembro de 2013 21:54

    Que lindo. Valeu!

  7. Marcos Silva 14 de Dezembro de 2013 9:31

    Legal que vc gostou, Tânia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP