Hitler e Lampião, ou a estética da violência

Para aqueles que se iludem com os acenos sedutores de alguns movimentos em prol da violência, tanto do passado como do presente, como o cangaço e/ou outras espécies de banditismo, vale a pena conhecer o excelente documentário sueco “Arquitetura da Destruição” (Undergagens Arkitektur,1992), dirigido por Peter Cohen e narrado por Bruno Ganz.

Trata-se de um dos melhores estudos sobre o Nazismo e suas íntimas razões, radiografando um certo sentido estético que fascinou e praticamente levou à hipnose a grande massa alemã, provocando os desvarios e crimes de que toda a humanidade veio ter conhecimento.

No importante filme fica claro como a visão “artística” de Hitler colaborou com a tese da eugenia, defendida ferrenhamente pelo Nazismo, pondo-se em prática uma verdadeira indústria de assassinatos em massa, o chamado genocídio, que tinha os judeus como principal alvo.

A megalomania de Hitler e seus asseclas tomou uma proporção gigantesca e trouxe marcas irreversíveis para o mundo. Sob o pretexto de valorizar o belo e o saudável, o exército e a polícia de Hitler puseram em prática um dos mais absurdos planos que seres humanos puderam gerar: o da erradicação de raças e pessoas que não se encontravam no “padrão” ariano estabelecido pela visão distorcida de Hitler.

Pergunto: a estética do cangaço defendida por alguns não estaria também na base de uma certa tolerância histórica em torno do cangaço e de seu líder narcisista Lampião?

Certamente, há de se analisar tal componente (a estética, a arte) a permear e a servir, de maneira indevida, a história da violência institucionalizada. Outros exemplos aconteceram de maneira assemelhada, bastando lembrar a figura enojante de Nero e de seus transtornos de artista frustrado, que tiveram forte impacto sobre Roma.

É. A apropriação indébita da arte e da estética pode trazer sérios danos, produzidos por mentes doentias de figuras centrais da humanidade. E pode contaminar toda ela.

Taí um tema que merece reflexão, se os estudiosos o quiserem enfrentar com desassombro e sem preconceitos.

www.oteoremadafeira.blogspot.com

Advogado público e escritor/poeta. Membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 6 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 1 =

ao topo