Hitler, Pinochet, Scolari…

Vocês lembram que Carlos Heitor Cony propõs um Hitler para dirigir a Seleção Brasileira de Futebol? Os problemas de Cony foram resolvidos com a indicação de Scolari para o posto, uma vez que esse treinador foi admirador confesso de Pinochet.

Repasso mensagem que recebi do Prof. Caio Navarro Toledo (UNICAMP) sobre o tema com uma pequena ressalva: Scolari não está desatualizado, está atualizadíssimo em relação a setores que desejam opressão sobre os mais fracos e pura arrogância da parte de quem manda.

Palavras de um admirador de Pinochet, hoje, na CBF de Marin, cupincha dos generais da ditadura:
“Se não quer pressão, então é melhor não jogar na seleção. É melhor ir trabalhar no Banco do Brasil ou em um escritório”.

Nota dos bancários:

“Cerca de 1.200 bancários são afastados do trabalho mensalmente, por razões de saúde, vítimas do assédio moral e da pressão violenta para que cumpram as metas abusivas de produção e vendas impostas pelas instituições financeiras, inclusive o Banco do Brasil.

Luis Felipe Scolari começou mal como novo técnico da Seleção Brasileira. Esperamos que ele não esteja tão desatualizado sobre futebol quanto está sobre as relações de trabalho nos bancos”.

Nasci em Natal (1950). Vivo em São Paulo desde 1970. Estudei História e Artes Visuais. Escrevo sobre História (Imprensa, Artes Visuais, Cinema Literatura, Ensino). Traduzo poemas e letras de canções (do inglês e do francês). Publiquei lvros pelas editoras Brasiliense, Marco Zero, Papirus, Paz e Terra, Perspectiva, EDUFRN e EDUFRJ. Canto música popular. Nado e malho [ Ver todos os artigos ]

Comentários

There is 1 comment for this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo