Homenagem poética

Mesa de bar é o melhor dos termômetros para medir a temperatura das acontecências da cidade. E basta um fim de semana para reconhecer que a homenagem da Capitania das Artes aos poetas Nei Leandro de Castro e Volonté, para o Dia Nacional da poesia (também festejado em mais de 100 países), tem causado divergências de opiniões. A opinião prevalecida é de que a verve de também excelente escritor romancista de Nei Leandro pudesse abrir espaço para escolha de poetas natos. Quanto à poesia de Volonté, especialistas do assunto divergem quanto à qualidade da obra do poeta andarilho. De cá, opino que, se este Rio Grande carece de romancistas, tem poeta bom para encher estádio. E bem poderiam ser lembrados os esquecidos cordelistas, donos da poesia popular, como Zé Saldanha, Antônio Francisco, Luiz Campos, Izaías Gomes, Abaeté, Paulo Varela e por aí vai.

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 9 =

ao topo