III Festival Literário da Pipa

Pela primeira vez, formato do III Flipipa vai interligar a Tenda Literária aos espaços alternativos como livrarias/tenda do autógrafo, Casa das Palavras, instalações e o Pipinha Literária

Terceira edição acontece de 17 a 19 de novembro e já tem confirmados nomes de David Arrigucci Jr, Eucanaã Ferraz, o português Miguel Sousa Tavares, Fernando Morais, Rubens Figueiredo, Carlito Azevedo, Arnaldo Antunes, Michelle Ferret, Carlos Gurgel, entre outros.

O pensamento e o legado de Osvaldo Lamartine, Antônio Bento e Manoel Dantas serão o foco nas mesas locais

Para acompanhar a programação em desenvolvimento acesse o www.flipipa.org

Poesia, romance, biografia. Crítica, tradução e memória. O Flipipa 2011 já está com a formatação alicerçada nesses temas, através das idéias e escritas de nomes de grande relevância na literatura brasileira contemporânea, como David Arrigucci Jr, Eucanaã Ferraz, o português Miguel Sousa Tavares, Fernando Morais, Rubens Figueiredo, Carlito Azevedo, Arnaldo Antunes. A memória também é resgatada através do legado deixado pelo sertanista e escritor Oswaldo Lamartine, pelo visionário autor Manoel Dantas e o crítico e poeta Antônio Bento, que em sua fazenda em Goianinha, recebeu Mário de Andrade e selou o encontro entre o modernista e o coquista Chico Antônio.

Programada para acontecer entre os dias 17 e 19 de novembro, na praia de Pipa — o mais agitado destino litorâneo de Tibau do Sul. — o principal festival literário do Rio Grande do Norte ganha um espaço próprio em sua terceira edição, e deixa a praça do Pescador. O novo local não poderia ser mais propício a viagem literária: no alto de uma falésia, na entrada da rua principal.

O evento é uma realização da Fundação Hélio Galvão através do projeto Nação Potiguar, sob a curadoria geral de Dácio Galvão e produção executiva de Candinha Bezerra. A 3ª edição será realizada graças ao incentivo de parceiros como SESC/Fecomércio, INTERTV, Sebrae-RN, Ecocil, Hotel Ponta do Madeiro, Associação de Pousadas da Pipa, Prefeitura de Tibau do Sul, Cabo Telecom, Companhia das Letras, Cooperativa Cultural/UFRN, Haras Água Boa, Editora Sebo Vermelho.

LUGAR DE PALAVRAS E IDEIAS

Integração é a palavra-chave desta edição. Pela primeira vai ser possível visualizar o espaço de debates entrelaçando-se às atividades paralelas. Tudo integrado. Palestras, exposições, audiovisual, recitais poéticos, leituras, setor de livros/autógrafos, oficinas e a Pipinha Literária.

Numa área arborizada será montada a Tenda Literária para os principais debates. Ela será o epicentro do festival, abarcando em seu entorno a Casa das Palavras, uma casa de verdade que vai aglutinar projetos de poesia, fotografia e audiovisual, leituras, varal de narrativas, entre outros, e ainda a instalação ‘Caranguejo, Cuidado!’ criação da fotógrafa Candinha Bezerra. Bem como o Ponto da Memória e a instalação a Árvore do Livro, que vai abrigar doações vindas de várias entidades públicas e privadas.

O Flipipa também será o ponto de lançamento, no Estado, do BiblioSesc, projeto itinerante de leitura do Sesc. Trata-se de uma biblioteca móvel, montada sobre um caminhão, que vai levar mais de 3 mil livros para cidades e bairros que não possuem uma biblioteca. Os livros estarão disponíveis para empréstimo ou para leitura no local. Haverá área de leitura, circulação e profissionais para ajudar na escolha. Durante o lançamento estarão presentes os premiados de 2010 do Prêmio Sesc de Literatura, o romancista Arthur Martins ( Habeas Asas) e a contista Luisa Geisler (Contos de Mentira).

Também próximo ao local será desenvolvido o projeto de arte e memória Cata-Lendas, destinada a jovens da comunidade, e mais ações educativas na Escola Municipal Vicência Castelo, localizada nas imediações do festival. Nesses locais estarão as oficinas literárias, uma delas coordenada pela poeta e musicista Michelle Ferret. Com o tema “Narrativas poéticas: O Despertar da Poesia”, a oficina será destinada a professores e jovens interessados no tema, em torno da escrita de Manoel de Barros, Carlos Drummond de Andrade, Hilda Hilst, Zila Mamede e Iracema Macedo.

A jornalista e escritora Ângela Almeida, a fotógrafa Candinha Bezerra e a professora Graça Leal participam da produção de ações paralelas como o Cata-lendas e A Casa das Palavras, e o poeta Carlos Gurgel será um dos nomes nas atividades desse espaço alternativo.

Aliado a todas essas ações, o Festival vai receber, pela primeira vez, os Cavaleiros da Cultura. Na verdade, uma versão do projeto inspirado na Associação Cavaleiros da Cultura, de Carlos Oscar Niemeyer, neto do arquiteto, que sai pelas cidades a cavalo distribuindo livros. O FLIPIPA receberá no sábado uma cavalgada trazendo cavaleiros com mais de 300 livros para serem pendurados na Árvore do Livro. A cavalgada será organizada pelo Haras Água Boa, de Marcelo Bivar Simonetti. O objetivo é incentivar a leitura e abastecer a biblioteca Municipal da Pipa, hoje um dos locais de referência para a população.

A livraria oficial do Flipipa 2011 é a Cooperativa Cultural da UFRN — Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Também estará integrada ao evento a Editora e Sebo Vermelho, com estande e lançamentos.

HISTÓRICO

O Flipipa nasceu em 2009 como uma mistura bem dosada de atividades culturais voltadas ao exercício da literatura, tendo como referência a obra e o pensamento de vários autores brasileiros e de língua portuguesa. Desde então o público local, visitantes e turistas tem sido presenteados com a presença de grandes nomes da literatura: Mia Couto, Raimundo Carrero, Daniel Galera, Frederico Pernambucano de Melo, Heloísa Buarque de Hollanda, Laurentino Gomes, Marçal Aquino, João Gilberto Noll, João Ubaldo, Geraldo Carneiro, Lobão, Danuza Leão, entre outros.

A produção lierária potiguar teve lugar de destaque na participação de escritores Geraldo Queiroz, Humberto Hermenegildo, Carlos de Souza, Ney Leandro de Castro, Luiz Assumção, Diva Cunha, Marize Castro, Patricio Jr., Moacy Cirne, Tarcisio Gurgel, Pablo Capistrano, Nivaldete Ferreira, Honório de Medeiros, Vânia Gicco, Conceição Flores, Durval Muniz, Raimundo Arrais, Ilza Matias, Alex de Souza. E ainda no resgate da obra de Clementino Câmara, Polycarpo Feitosa, Hélio Galvão, Câmara Cascudo, Homero Homem.

REALIZAÇÃO

Fundação Hélio Galvão através do Nação Potiguar

Presidente da Fundação Hélio Galvão: José Arno Galvão

Curadoria Geral do Flipipa: Dácio Galvão

Produção Executiva: Candinha Bezerra

Comentários

Há 4 comentários para esta postagem
  1. Marcos Silva 25 de outubro de 2011 9:21

    Não consegui acessar a programação.

  2. Tião Carneiro 24 de outubro de 2011 19:02

    Desculpe, Alex. Não resisti e vou pegar um mocergo em seu comentário.Sou desse tempo também. Bons tempos, bons tempos! Mas hoje em dia até as pessoas acontecem! Sabe o que acontece, meu nobre? Ah, não direi. Só direi que vou estar me programando para acontecer.

    Uma abraço,
    Tião

  3. Alex de Souza 24 de outubro de 2011 12:24

    sou da época em que o que acontecia era acidente de trem, carro, avião. Hoje até evento previsto há mais de ano acontece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo