IMAGINAÇÃO

Jamais houve serenidade
em dias embaçados

ainda não chegou hoje
isto é tarde agora

detesto arrogância
sempre invisível, leprosa
vazia,animal

raramente olho longe
imagino demais.

Sou artista visual, fiz várias exposições individuais e coletivas, já participei de salões, palestras, seminários, whorshop, projetos culturais, oficinas de arte, intervenções urbana e etc... Escrevi um livro de poemas "Agonia" que é mais pessoal que poético e gosto do portugues escrito de forma simples onde pessoas com menos formação acadêmica tenham condição de ler e entender. [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 13 comentários para esta postagem
  1. Aguinaldo Maciel 28 de setembro de 2011 9:27

    O comentário foi uma brincadeira. Talvez de mau gosto. Peço desculpas ao poeta e aceito a crítica do Saldanha. peço ao blog que os retire.

  2. Olavo Saldanha 27 de setembro de 2011 20:31

    Eu já tentei expor alguns poemas aqui e não consegui, mesmo assim prestigio este maravilhoso espaço com leitura e alguns comentários. Só não entendo como é possível o espaço deixar que pessoas mal intencionadas, que não apresentam pelos menos uma proposta, ou escreva algo como contribuição, postem comentários que denigrem e ferem a livre concepção do artista e zombem do pensamento alheio.

    Que fosse um poema de uma palavra só e mesmo assim deveríamos conceder-lhe o maior respeito, pois não somos donos da verdade e nem da arte. O Senhor Aguinaldo Maciel esqueceu de incorporar ao seu ser, o respeito e a educação. Fica o meu protesto ao espaço SP que corta as asas dos pombos e deixa os gatos com unhas.

  3. Jefte Lemos 27 de setembro de 2011 15:48

    Anchieta , não estás só, neste desprezo, estou contigo em todas as palavras, sentido…

  4. Aguinaldo Maciel 27 de setembro de 2011 13:30

    Parabéns, poeta Rolim. Você é nosso poeta maior, mestre de todos os poetas do blog. “Dias embaçados”…Nem Drummond chegou a tanta beleza. Franklin Jorge vai ter que engolir e Tarso de Melo sucumbir. Parabéns…parabéns…parabéns…

  5. Olavo Saldanha 27 de setembro de 2011 10:41

    “Jamais houve serenidade
    em dias embaçados”

    Só poetas podem ver o que sentem. É palpável para o poeta o sentido. Estes dois versos já é uma poesia inteira.

    É uma afirmação que confronta outros poetas, eu sei, mas de quem é a revelação poética, senão do poeta que constrói os versos?

    Anchieta Rolim disse, assim o é, e cabe aos poetas entrarem na bruma opaca que Anchieta Rolim construiu e ver se sentem algo, ou serenidade ou melancolia, o poeta é o autor da vida, quando o poeta decreta, já era.

    Parabéns Rolim, mestre das formas.

  6. Anchieta Rolim 27 de setembro de 2011 10:16

    Bela colocação Romana, obrigado pelas palavras, como sempre, você é só coração em tudo que escreves. Maravilha!

  7. Anchieta Rolim 27 de setembro de 2011 10:03

    Danclads, um comentário construtivo como esse e vindo de um poeta do seu quilate com certeza me enche de orgulhoso. Maaassa!

  8. Anchieta Rolim 27 de setembro de 2011 9:55

    Obrigado Therezinha, sinto-me feliz e honrrado em ler tão belo comentário. Forte abraço!

  9. Anchieta Rolim 27 de setembro de 2011 9:51

    Pedro, obrigado por aparecer aqui rapaz,gostei muito do seu comentário. Um abração!!!

  10. Romana Alves Xavier 27 de setembro de 2011 8:07

    Anchieta,

    Suas letras embaçadas me deram escada para pensar o quão única é a mente de cada um de nós… Gostei muito de “Jamais houve serenidade em dias embaçados”…

    Em meio ao sereno, os dias embaçados são os melhores para se imaginar…e a imaginação sim realmente vale mais do que mil palavras…ela não apenas nos faz ver como também rever conceitos e mitos presos na mente…Abraço!!

  11. Danclads Andrade 27 de setembro de 2011 6:45

    Humana,objetiva, direta ao ponto. Maravilha, poeta!!

  12. Therezinha M. da Silva 27 de setembro de 2011 0:31

    Meu amigo Rolim, sua poesia sempre me surpreende, com seu jogo de palavras. A imaginação planta sementes, que serenamente, mesmo sem olhar para o futuro, se transformam em plantinhas e quem sabe até dá bons frutos. É bom imaginar. Abraços!!!

  13. pedrx 26 de setembro de 2011 22:53

    gostei. humana: simples e sensível…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ao topo