Indigente

Não lhe sabiam do rosto
E das marcas da vida
Em sua pele.
Não conheciam seus sonhos,
Nem nunca lhe indagaram
O que queria ou desejava.
Não houve quem quisesse saber
De seus tropeços e estrada.
Seu coração sempre foi
Uma incógnita a todos.
Ignoraram-lhe por completo
A existência.
Agora, mesmo sabendo o nome,
O tem como indigente.

Brasileiro, nordestino, alagoano, advogado, cidadão comum, simples habitante deste planeta decadente... Rs... [ Ver todos os artigos ]

Comentários

Há 6 comentários para esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − cinco =

ao topo